Mestrado e Doutorado em Biotecnologia Aplicada à Saúde da Criança e do Adolescente

voltar

pesquisa_laboratorial-4

O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Aplicada à Saúde da Criança e do Adolescente reforça o compromisso do Complexo Pequeno Príncipe com a pesquisa e a  excelência na formação técnico-científica em prol da vida.  Um dos grandes objetivos dos trabalhos realizados é contribuir com a redução da mortalidade infantojuvenil, além de formar docentes, pesquisadores e incentivar a produção de conhecimento em favor da saúde de meninos e meninas de todo Brasil.

A Faculdades Pequeno Príncipe, em parceria com o Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, desenvolve as atividades em sete linhas de pesquisa:

  1. Doenças Complexas e Oncogenética
  2. Estudos Epidemiológicos, Clínicos e Educacionais
  3. Imaginologia, Proteção Radiológica e Radioterapia
  4. Medicina Molecular e Bioinformática
  5. Microbiologia e Doenças Infecciosas
  6. Neurociências
  7. Terapia Celular e Farmacológica

Com mais de 80 projetos de pesquisa em desenvolvimento nos últimos anos, um dos destaques das atividades realizadas no Complexo Pequeno Príncipe diz respeito aos estudos para detectar o Túmor de Córtex Adrenal (TCA). O procedimento, inédito e pioneiro, utiliza uma gota adicional de sangue retirada no momento da realização do teste de pezinho. Graças a esse método, é possível identificar uma mutação genética responsável pelo possível desenvolvimento de um câncer pediátrico – o TCA.

Em 2013, o trabalho foi um dos vencedores do Prêmio Abril de Saúde (categoria Saúde da Criança). Os trabalhos realizados já garantiram o desenvolvimento de 3 patentes, além da publicação de inúmeros artigos científicos em revistas especializadas.

As pesquisas desenvolvidas permitem, entre outras questões, mais precisão no diagnóstico de leucemias, menos radiação nos exames de imagem das crianças e adolescentes, a utilização de pesquisas de neurociência aplicadas à neurologia, psiquiatria, saúde mental e aprendizagem, tratamentos específicos para imunodeficiências primárias, entre outras importantes conquistas.

Um ponto importante das pesquisas realizadas é a democratização do acesso à saúde. Um exemplo diz respeito ao estudo que garantiu a redução dos custos do exame FISH de R$ 300 para R$ 12. Dessa forma, pacientes com leucemia atendidos no Pequeno Príncipe e em outros hospitais podem ser submetidos ao procedimento e ter diagnóstico diferenciado.

Contato

Faculdades Pequeno Príncipe

Av. Iguaçu, 333 . Rebouças - CEP: 80230-020
Curitiba/ Paraná - Brasil

Tel.: +55 41 3310-1500